sexta-feira, 8 de maio de 2015

"Um Mundo sem Fim" de Joel Lira




[…]
Como todos os escritores, Joel Arsénio Baptista Lira, vive a sua escrita, partilha-a e dela faz o seu fado mais sentido! Aprofunda realidades e emoções, aquelas contidas nas palavras, mesmo que pareçam banais… pois efetivamente, dentro da banalidade existem as maiores verdades, dentro de palavras sinceras, mesmo insignificâncias, esconde-se a sua pureza de sentimentos, a sua verdade musical, num rodopio de sensações que encantará a veracidade do momento de leitura. E até nós, chegarão palavras antes escondidas, recônditas mais não! Clarividentes e penetrantes. Porque não só escreve o que sente como sente profundamente o que escreve! Seu âmago canta, ora repleto de luminosidade e paixão, ora sufocado de dor e pesar.
[…]

do prefácio de Fátima Araújo