sexta-feira, 8 de maio de 2015

"Os Amantes de Janeiro" de Clementina Matos





Quem quiser ser embalado pelos sentimentos gentis, que animam a beleza das pequenas coisas, leia este livro.
Clementina Rosa Pires de Matos escreve versos cheios de uma luz cândida e pura, fora do tempo e longe do tumulto de uma época que se esquece da emoção simples que nos pôs no mundo. Estes poemas são, por isso, um hino de amor, dedicado ao ciclo da vida, nas suas etapas igualmente honradas, cada qual com a sua graça singela, com a beleza de participar da sinceridade da vida.
[…]
Esta obra de Clementina Matos é, ainda, uma homenagem: à aurora da vida, porque as crianças são a beleza inocente dos começos; à juventude, porque ela é o entusiasmo apaixonado da existência em flor; e aos velhinhos, porque uma vida longa imprimiu neles os traços e as memórias indeléveis da aventura humana. São os mesmos velhos que, depois desse grande ciclo, parecem regressar à pureza dos inícios.
[…]

do prefácio de Maria Matos Meireles Graça